Cloud Computing no CIAB

Participei algumas semanas atrás de um painel sobre Cloud Computing ou Computação em Nuvem no CIAB. E um dos itens que foram abordados no debate foi “por onde começar minha caminhada em direção à Computação em Nuvem?”.

 Bem, de maneira geral, quando se fala em Computação em Nuvem lembramos logo das nuvens públicas como a do Google ou a oferecida pela Amazon, a EC2 (Elastic Compute Cloud).

 Mas, com as atuais soluções de virtualização e algumas tecnologias de software como o Tivoli Service Automation Manager da IBM (http://www-01.ibm.com/software/tivoli/products/tsam-facts.html) é perfeitamente possivel construir um ambiente de Computação em Nuvem dentro do data center de uma empresa. Claro que ainda existem peças faltantes no jogo, mas com a tecnologia disponivel já dá para começar a fazer muita coisa interessante.

 Inclusive existe, desde que sua empresa tenha tempo e expertise suficiente, tecnologia Open Source para construir uma nuvem privada. É o projeto Eucalyptus, que simula o ambiente EC2 da Amazon. Começou como um projeto criado para fins acadêmicos e agora é uma empresa à parte (http://www.eucalyptus.com/), que além de ser um distribuidor para o software, busca gerar receita para serviços de implementação da nuvem. Mas, como a empresa começou agora e não tem ramificação no Brasil, caso você opte por usar o Eucalyptus, ainda vai assumir toda a responsabilidade por mantê-lo em seu data center.

 Uma nuvem interna ou privada, operando dentro do firewall, entrega alguns dos beneficios das nuvens publicas, como melhor aproveitamento dos ativos computacionais e menor time-to-market para novas aplicações, ao mesmo tempo que mantém os processos e procedimentos internos de padrões, segurança, compliance e niveis de serviço.

 Mas, por onde começar  a jornada em direção à Computação em Nuvem? Uma sugestão é começar pela “nuvenização” do ambiente de desenvolvimento e teste.

 Imagine os desenvolvedores tendo à sua disposição um ambiente de auto-serviço, onde através de um portal ele requisita uma determinada capacidade computacional e a obtém em minutos e não em dias ou semanas, sem precisar passar pela área de produção e operação. E sem a necessidade de esperar a compra e instalação de um novo servidor para testar novas aplicações…Aliás, estes ambientes geralmente recebem a menor prioridade da produção. O resultado será uma maior produtividade do desenvolvimento de sistemas.

 Para a produção, o ambiente de desenvolvimento e teste ocupa cerca de 20% dos recursos computacionais, mas dá 80% das dores de cabeça. Para ela, não ter mais que se ocupar desta questão é um grande ganho. Em resumo: os dois lados saem ganhando!

 Como os ambientes de desenvolvimento e teste geralmente são isolados do ambiente de produção, são risk-free para o processo de aprendizado de criação e operação de uma nuvem interna.

 A computação em nuvem chegou para ficar, assim, é melhor começar a aprender como criar e usar este modelo computacional. Taí um bom primeiro passo.

Uma resposta to “Cloud Computing no CIAB”

  1. Anderson Rodrigo Says:

    Olá Cezar. Parabéns por essa iniciativa.

    Gostaria de compartilhar com a comunidade a informação sobre o site http://www.icloud.com. É o primeiro sistema operacional de nuvem. Interessante pois nesse novo paradigma computacional o que usuários vão precisar nada mais é que um browser. Vale a pena a visita nesse site.

    Nós vemos no lançamento de seu livro.

    Abs,
    Anderson Rodrigo.

Deixe uma resposta

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s


%d blogueiros gostam disto: