O CFO e a Computação em Nuvem

Há algumas semanas debati o assunto Cloud Computing com executivos de uma multinacional do setor automotivo.

 Preparando o material para a reunião, coletei diversas definições, algumas das quais valem  a pena compartilhar aqui. Por exemplo, o Gartner Group define Cloud Computing como “a style of computing in which massively scalable IT-enabled capabilities are provided “as a service” to external customers over the Internet”. E vai mais, estimando seu impacto nos data centers: “Cloud Computing is a natural outcome of next-generation data centers. Infrastructure and operation organizations are striving toward service-orientation, a more variable pay-per-use chargeback model, and more virtualized and automated architecture”.

 O Forrester tem definição parecida: “a pool of highly scalable, abstracted infrastructure, capable of hosting end-customer applications, that is billed by consumption”. Segundo o Forrester “Cloud Computing is a massive, abstracted and scalable infrastructure where the provider decides what components that infrastructure needs…not the user. In fact, users don’t have to worry about hardware or software at all. The operating system and applications are independent of one another and applications are dynamically allocated, scaled and moved within the infrastructure to optimize the performance of those applications. For the user, there are no long term commitments and you pay only for what you use”.

 Pesquisando na Web achei um blog muito interessante sobre clouds, o de John Willis (www.johnmwillis.com/groundwork/cloud-vendors-a-to-z-revised/, que inclui uma lista de empresas que fornecem soluções de Cloud Computing. O blog tem posts muito legais e uma seção de podcasts sobre Cloud Computing que vale a pena ouvir.

 Vale a pena também visitar o site da 3Tera (www.3tera.com), que é um bom e inovador exemplo de Cloud Computing. Esta empresa, aliás, foi apontada como a “Top company to watch in 2008” pela Linux Magazine.

 Mas, voltando à nossa conversa com os executivos do cliente em Hortolândia, uma das perguntas que surgiram é se “a crise econômica não acelerou a adoção de Cloud Computing”? Bem, para chegar a uma resposta vesti a camisa de um CFO. Todo CFO fica vivamente interessado em soluções como Cloud Computing e seu modelo “pay-as-you-go” porque este modelo troca investimento em capital (capex ou capital expenditure) por opex (operating expense). O resultado é um cash flow muito melhor que no modelo tradicional, principalmente em tempos de crédito escasso. O CFO não precisa assinar nenhum cheque antes de poder dispor da capacidade computacional. Pelo contrário, ele assina os cheques à medida que consome os recursos computacionais. O risco financeiro também é bem menor, pois no modelo tradicional ele gasta antecipadamente o dinheiro em tecnologia sem saber se o resultado obtido será mesmo o esperado. No modelo Cloud Computing o risco financeiro é mensal (usa e paga) e ele pode acompanhar mais de perto como o dinheiro está sendo gasto. Enfim, do ponto de vista do CFO, Cloud Computing é o modelo dos seus sonhos…e a crise acelerou o interesse pelo modelo Cloud Computing.

 Mas, é claro que não são apenas os aspectos financeiros que contam (embora sejam cada vez mais importantes…). Ponto positivo: o modelo Cloud Computing retira da empresa todo o trabalho e custo de administrar toda a parafernália tecnológica, que geralmente não é o seu “core business”. Por outro lado é um modelo ainda em suas fases iniciais de evolução. Existem  ainda poucas experiências concretas e o mercado ainda está tentando entender melhor o conceito e as tecnologias embutidas nele.

 Entretanto, quando vemos empresas como a IBM e outros grandes players da indústria adotando o modelo e implementando soluções, e analistas de indústria como o Gartner prevendo que “80% of Fortune 1000 companies will leverage some applications of cloud computing by 2012; 30% will use cloud infrastructures services”, no mínimo temos que prestar atenção no assunto.

Anúncios

Uma resposta to “O CFO e a Computação em Nuvem”

  1. Marcos A. Silva Says:

    Gostei muito da forma como o assunto do post foi concluido. Eu represento uma empresa, a MIPC Informática, que levou nada menos que 4 anos pesquisando e desenvolvendo uma solução praticamente completa no modelo cloud computing. Digo completa porque posso transferir praticamente tudo que “roda” nas empresas para o ambiente do datacenter. Além das vantaqgens citadas para o CFO, um sistema assim não muda o dia a dia do usuário final, ou seja não há pontos de resistencia para a implantação do modelo. Se houver interesse, acesse http://www.mipc.com.br ….

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s


%d blogueiros gostam disto: