Impacto Econômico da Cloud Computing

Outro dia, recordando as origens da minha formação básica, que foi Economia,  estive estudando alguns relatórios do World Economic Forum que abordavam as implicações estratégicas e econômicas do modelo de Coud Computing na sociedade. Para mim está claro que no longo prazo este modelo vai ter uma contribuição fundamental para melhoria da eficiência de empresas privadas e públicas, bem como impulsionará a criação e o crescimento de novos negócios. O impacto nas empresas e nos usuários finais será significativo. Cidadãos poderão acessar seus documentos, fotos, caixa de correio e quaisquer outros dados a partir qualquer dispositivo, seja de seu laptop em casa, de seu smartphone ou mesmo do equipamento de um amigo.  As empresas não precisarão mais investir up-front em equipamentos, mas alugarão “computing power” e storage de provedores externos e pagarão apenas pelo seu uso, como já fazem hoje com energia elétrica. Esta mudança terá profundo impacto na estrutura dos custos das empresas e portanto poderá ocasionar um efeito significativo na criação de novos negócios e até mesmo no desempenho  macroeconômico de um país. A publicação The Economist, em 2008, em uma excelente reportagem foi direto ao ponto: “the Internet disrupted the music business; Google disrupted the media; cloud-based companies could become disrupters in other inefficient industries”.

 Um exemplo? A disseminação massiva de ofertas de Cloud Computing pode promover a criação de novos negócios em setores onde os custos de TI são altamente relevantes e impeditivos pelo modelo atual. Um exemplo são setores altamente intensivos em computação como games, animação e produção de vídeos. Dois exemplos: o jornal New York Times precisava escanear todas suas edições de 1851 a 1989 e ao invés de adquirirem novos hardwares ou usarem seus recursos computacionais já sobrecarregados, eles transferiram os arquivos TIFF para a nuvem EC2 da Amazon. O processamento, em cima de um dataset de 3 terabytes levou 24 horas usando 100 instâncias (servidores virtuais) e custou 240 dólares. Se não fosse em cloud, seriam necessários vários meses apenas para adquirir e instalar 100 servidores, e a um custo de dezenas de milhares de dólares. Outro caso, no Brasil da PUC-RJ com os vídeos para o próximo programa BBB da Rede Globo. Os candidatos enviarão seus mais de 200.000 arquivos que precisarão ser convertidos para um único formato e arquivados. De maneira geral 60% das submissões de vídeos ocorrem nos últimos dias do prazo de inscrição. Isso cria a necessidade de processar rapidamente um volume gigantesco de vídeos. Na última edição do BBB foi preciso comprar vários servidores, que depois da seleção não tiveram mais utilidade. Com o uso de Cloud Computing o custo para processar mil vídeos caiu para cerca de 500 dólares.

 Mas, além destes setores envolvidos diretamente com mídia digital, a adoção massiva de Cloud Computing pode incentivar a criação de novos e inovadores negócios que tenderão a usar com mais intensidade a Internet. Torna-se cada vez mais comum o uso da Internet e redes sociais em praticamente todos os setores de negócio. A cada dia surgem novidades, como os recentes sites de compras coletivas como o Groupon nos EUA ou o PeixeUrbano no Brasil.

Um exemplo de uso da computação em nuvem é a loja virtual Camiseteria.          Como todas pequenas empresas em crescimento estava enfrentando seu limite, quando o crescimento da empresa demandava mais capacidade que os então dois servidores da firma. Estes servidores já estavam hospedados em um provedor externo e daí para utilizar o conceito de nuvem foi um passo. A Camiseteria não precisa mais saber onde estão seus dados, em quais servidores e discos. Na verdade, na Computação em Nuvem, o usuário não precisa saber onde está o servidor e isto não vai fazer a menor diferença para ele.

 A Camiseteria é um exemplo típico dos clientes do modelo de Computação em Nuvem. De maneira geral as maiores empresas são mais lentas na adoção de novos conceitos e embora reconheçam o potencial da Computação em Nuvem ainda preferem ficar com seus servidores guardados em salas bem fechadas. Mas, pequenos empresários não podem se dar ao luxo de serem céticos, pois com pouco capital não podem investir em caras instalações para seus servidores. Este é o grupo que mais cresce em uso da Computação em Nuvem.

 Portanto, a computação em nuvem remove um grande obstáculo a criação de novas e inovadoras empresas, principalmente as intensivas em uso de TI, pois elimina os investimentos up-front, diminuindo sensivelmente os custos de  entrada do negócio. Como transfere os custos de capital para custos de operação, tende a sincronizar as despesas da empresa com as suas receitas.

 Na minha opinião é exatamente esta elasticidade e o modelo pay-as-you-go, traduzidos pela simplificação do planejamento e gestão dos recursos computacionais, e a significativa redução de custos que impulsionarão este modelo. No modelo atual as empresas são obrigadas a investir em recursos computacionais em excesso (para os períodos de maior uso) e pagar por este valor máximo. Com a computação em nuvem as empresas terão a seu dispor a elasticidade necessária para acomodar a capacidade computacional de acordo com a demanda. E pagar exatamente pelo uso dos recursos consumidos. Cloud Computing soluciona um dos mais cruciais problemas atuais da industria de TI: alinhar a capacidade instalada com a demanda.

 Provavelmente, como a adoção do modelo de Cloud Computing será gradual, apenas sentiremos o seu impacto macroeconômico a médio e longo prazo. Já houve um caso similar, que foi a expansão da infraestrutura de comunicações durante a bolha da Internet, nos anos 2000. Só sentimos o potencial da disponibilidade desta infraestrutura algum tempo depois do estouro da bolha. Mas ela é que permitiu a criação e disseminação de novos negócios na Web.

 Para uma aceleração da adoção de Cloud Computing, diversos fatores restritivos atuais devem ser minimizados como o próprio entendimento do que é e da potencialidade da computação em nuvem, e as questões de segurança e privacidade. Para isso entendo que seja necessário, entre outras ações, uma política de incentivo ao cloud computing que inclua:

 a)     Incentivar o estudo de conceitos e aplicações práticas pela academia, formando profissionais que conheçam as tecnologias que envolvem este modelo,

b)     Criação de normas e regulamentos que orientem o uso de dados em nuvens, uma vez que os data centers que oferecem estes serviços podem estar residentes em países com legislações de privacidade e confidencialidade diferentes e até conflitantes,

c)     Incentivo à adoção de padrões abertos que garantam interoperabilidade entre as nuvens,

d)     Expansão da cobertura e capacidade da rede de banda larga do país,

e)     Adoção de uma política de incentivos fiscais para adoção da computação em nuvem e sua promoção para setores que possibilitem a criação de novos e inovadores negócios,

f)      Incentivo ao uso da computação em nuvem para incubadoras de novos negócios,

g)     Incentivo ao uso do modelo SaaS para a indústria de software, e

h)     Incentivo ao uso de computação em nuvem nos laboratórios  e data centers das universidades.

Uma resposta to “Impacto Econômico da Cloud Computing”

  1. william silva Says:

    Muito bom o blog, e a matéria, manter sempre atualizado. Estou desenvolvendo um trabalho sobre este tema. Que aliás quase não possui informações em português..
    Abraço!

Deixe uma resposta

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s


%d blogueiros gostam disto: