Insights de 110 projetos reais de implementação de Cloud

Volta e meia nos deparamos com pesquisas sobre adoção de Cloud Computing. Entretanto, a maioria deles se concentra na opinião de executivos ou representantes da indústria. Não olham realmente o dia a dia de quem está com a mão na massa.

Recentemente a IBM realizou uma pesquisa diferente, coordenada pela IBM Academy of Technology, concentrando-se em quem esteve ou está envolvido com projetos de cloud em diferentes clientes: os arquitetos e engenheiros de software. O projeto gerou um relatório muito interessante chamado “Cloud Computing insights from 110 implementation projects” que pode ser acessado em http://tinyurl.com/5sb6pzt.
O relatório descreve como os arquitetos implementaram projetos reais de clouds e como os clientes estão vendo sua adoção, do ponto de vista de quem está diretamente envolvido com os projetos de implementação.

Vamos resumir algumas das suas conclusões, mas recomendo a leitura do relatório na íntegra.
a) Como as nuvens são implementadas? A pesquisa mostrou que apenas metade das implementações obedeceram a uma estratégia de cloud, enquanto a outra metade consistiu-se de iniciativas isoladas, sem objetivos claros e bem definidos. Também ficou claro que a maioria dos projetos atuais ainda são projetos piloto, de âmbito bem localizado. Ainda são poucas as iniciativas de escopo empresarial. Mas, na verdade, como cloud ainda é novidade, a maioria do clientes começa sua jornada com projetos experimentais, para obter experiência e desenhar de forma mais adequada ações mais amplas. Um bom ponto de partida para uma experimentação é criar uma nuvem privada para o ambiente de desenvolvimento e testes, pois desta forma minimizam riscos de segurança (ambiente de certa forma isolado) e obtém ganhos significativos e palpáveis, para seguirem m frente com novos projetos.
b) Adotar o modelo de nuvens vai obrigar revisões nos processos de governança de TI. Este foi o sentimento geral das empresas que implementaram projetos piloto.
c) Na pesquisa identificou-se que 70% das iniciativas eram de nuvens privadas e apenas 30% de nuvens públicas. Existe, claro a ressalva que os projetos eram em grandes clientes, que geralmente começam sua experimentação por nuvens privadas. Se a pesquisa fosse realizada em clientes de menor porte, é provável que a relação fosse inversa. Obteve-se uma informação interessante: nas nuvens privadas o predomínio dos projetos foi de IaaS, seguido de PaaS. Já nas nuvens publicas o SaaS dominou o cenário, secundado por projetos de IaaS.
d) Observou-se também que os clientes sentem que cloud é um movimento irreversível e que em dois a três anos muitos sistemas críticos estarão rodando em nuvens. Entre as aplicações mais citadas como as próximas a entrarem em nuvem são business analytics, colaboração e Web.
e) A leitura do relatório deixa claro que os próximos desafios, após a desconfiança da segurança for vencida, serão as questões de integração e interoperabilidade entre nuvens diferentes e entre aplicações on-premise as que rodarão em nuvens.
f) Um ponto imporatnte e decisivo para o sucesso da adoção da cloud computing é a padronização de imagens. Isto abre espaço para demandas de novos recursos de gestão baseados em ITIL, como image management.

Vemos que ainda existem inibidores para uma maior adoção de computação em nuvem. Segurança aparece em primeiro lugar. Mas, nos projetos avaliados pela pesquisa, como o modelo de nuvem adotado foi de nuvem privada, as questões de segurança são minimizadas. Afinal, a nuvem está operado dentro do firewall e das politicas de segurança da própria empresa.
Por outro lado, os projetos demonstraram claros benefícios. Embora custo tenha sido um dos apelos iniciais, a flexibilidade que a nuvem oferece para os usuários é hoje o seu principal atrativo. A velocidade com que as demandas por recursos e facilidade de TI, que eram medidas em semanas, passam a ser feitas em minutos. Isto abre novas oportunidades para criar aplicações inovadoras em tempos muito mais curtos e facilita experimentações de novos produtos e sistemas.

O relatório também aponta algumas tendências como:
a) O modelo de pay-as-you-go, tipico das nuvens publicas, também deverá ser adotado nas nuvens privadas, com acordos entre IT e as linhas de negócio.
b) Mesmo as grandes empresas vão adotar nuvens publicas com maior intensidade, gerando nuvens híbridas, com parte de aplicações rodando em nuvens privadas e parte nas nuvens públicas. Novamente vem à luz a questão da integração e interoperabilidade.
c) Governança do ambiente em nuvens é um desafio a mais, pois muitos processos devem ser revistos. Extensões e adaptações das disciplinas do ITIL são esperadas. Podemos citar como exemplo image management como uma nova e importante disciplina e modificações em service design, service strategy, service operation, service transition, service operation e service improvement.
d) os aplicativos tenderão ser cada vez mais multi-tenancy. Hoje são no-multitenancy e devem exigir esforço imporante por parte dos fabricantes de softwares, bem como demandarão novos skills dos desenvolvedores nas empresas.

Enfim, analisando o relatório podemos chegar a algumas conclusões, que gostaria de compartilhar com vocês:
a) Comecem a jornada em direção a cloud por projetos piloto, identificando e implementando workloads mais adequados à este modelo. É um processo gradual, com a experiência sendo adquirida ao longo do tempo, com a evolução dos projetos.
b) Mudanças na organização e nos processo de governança de TI serão necessárias.
c) Tenha uma estratégia para adoção de cloud e não tente implementar projetos simplesmente para experimenatr o modelo, sem ter os proximos passos bem definidos.
d) Existem obstáculos, como imaturidade e complexidade de algumas tecnologias para implementação de nuvens privadas, mas que serão resolvidos ao longo o tempo. Tambem os receios de segurança com nuvens publicas tenderão a ser minimizados.
e) O uso de cloud computing vai se acelerar de forma significativa nos proximos dois a três anos.

Anúncios

2 Respostas to “Insights de 110 projetos reais de implementação de Cloud”

  1. Renan Says:

    O link do relatorio está inacessivel, (http://tinyurl.com/5sb6pzt)

    Obrigado.

  2. Marcelo Pereira Cavalini Says:

    Para complementar este artigo, veja os serviços explorados em computação em nuvem (cloud computing)

    http://cavas.com.br/index.php/gestao/servicos-explorados-no-cloud-computing/

    Abraços,

    Marcelo Pereira Cavalini

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s


%d blogueiros gostam disto: